Última hora

Última hora

As inovações digitais da Coreia do sul na cimeira "Telecom World"

Em leitura:

As inovações digitais da Coreia do sul na cimeira "Telecom World"

Tamanho do texto Aa Aa

Os grandes nomes do setor das tecnologias de informação e comunicação reuniram-se aqui em, Busan, na Coreia do Sul na cimeira “ITU Telecom World”.

Os grandes nomes do setor das tecnologias de informação e comunicação reuniram-se aqui em, Busan, na Coreia do Sul na cimeira “ITU Telecom World”. Descobrimos as inovações digitais que prometem continuar a revolucionar as nossas vidas e as mais recentes novidades sobre cidades inteligentes, dispositivos e redes de alta velocidade.

O evento reuniu governos, empresas de tecnologia e startups para discutir as novas tecnologias digitais. O país anfitrião mostrou a vibrante cultura popular e promoveu as inovações como as tecnologias das “cidades inteligentes”.

O que significa “cidade inteligente”? Em Busan existe um sistema que está a monitorizar o tráfego e permite que os condutores saibam quando há um acidente à frente deles. Outro para controlar as emissões dentro dos escritórios, permitindo saber a quantidade de gases com efeito de estufa colocados na atmosfera. Um sistema de cuidados de saúde que está a monitorizar os pacientes em tempo real enviando a informação aos médicos e um sistema que desliga o acesso ao seu smartphone quando se atravessa a estrada, para evitar acidentes no trânsito.

“O importante é a conveniência e a segurança, porque os coreanos já têm muita experiência no que toca a dispositivos e querem serviços e aplicações superiores”, diz Aidan lew da Lotte data Communication.

Não são apenas os sul-coreanos que adotam os conceitos das cidades inteligentes. Na Suíça, uma empresa líder nas telecomunicações móveis está a testar como os dados podem ser utilizados para analisar o congestionamento do tráfego. Raphael Rollier da Swisscom explica: “Temos muitas informações sobre dados móveis. Geramos 20 mil milhões de eventos todos os dias, ou seja, cada vez que um telemóvel se liga a uma antena cria uma impressão digital. Abordámos as cidades para dizer que podemos mostrar o tráfego em tempo real. Seguindo esta base podemos fazer um planeamento urbano mais direcionado”.

Para que os conceitos de cidades inteligentes sejam aplicados é necessário implementar redes móveis 5G ultra rápidas. A cimeira vai definir os parâmetros desta rede antes de 2020 e prevê uma mudança de paradigma em termos de conectividade.

A segurança foi um dos grandes temas deste ano, à luz das previsões, o número de dispositivos conectados passará de 6 mil milhões para 200 mil milhões até 2025. A resposta está na criação de uma maior segurança:“É preciso mudar a forma como fazemos a segurança cibernética. No futuro precisamos de sistemas mais proativos, sistemas e segurança implementados no design. Não precisamos de janelas adicionais ou softwares adicionais instalados nesses dispositivos. Os dispositivos devem ser construídos de forma segura logo no início”, acrescenta Ammar Alkassar, diretor da Rohde & Schwarz Cybersecurity.

Enquanto se procuram respostas para as questões de segurança – a rede 5 G ganha prioridade. A Coreia do Sul pretende que os próximos Jogos Olímpicos de Inverno sejam um evento hiperconectado.

“Estamos a tentar instalar a rede 5G, pela primeira vez no mundo, para fornecer os serviços de teste ao público e aos participantes nos Jogos Olímpicos”, conclui DongJun Lee da KT Corporation.

O mundo prepara-se para mais um grande passo em termos de conetividade e vai estar de olhos postos na rede 5G nos próximos Jogos Olímpicos.