Última hora

Última hora

Multidão em Barcelona pede liberdade para "presos políticos"

Vários membros do governo catalão destituído estão em prisão preventiva.

Em leitura:

Multidão em Barcelona pede liberdade para "presos políticos"

Tamanho do texto Aa Aa

As ruas de Barcelona encheram-se este sábado com dezenas de milhares de pessoas para exigir a libertação daqueles a que chamam presos políticos, nomeadamente os vários membros do governo catalão destituído, que aguardam julgamento em prisão preventiva, acusados de sedição depois da declaração unilateral de independência da Catalunha. Entre eles, está o ex-vice-presidente Oriol Junqueras.

Point of view

Ser tratado como um criminoso ou um assassino em série é um abuso, é estar a usar os juízes e os tribunais para fazer política.

Carles Puigdemont Ex-Presidente do Governo Catalão

“Liberdade para os presos políticos” e “somos República” eram algumas das palavras de ordem que se podia ler nos cartazes.

Em Bruxelas, onde está refugiado, o ex-presidente do governo catalão, Carles Puigdemont, denuncia o que diz ser um abuso por parte dos tribunais: “Ser tratado como um criminoso, um traficante, um pedófilo ou um assassino em série é um abuso. Não é política, é estar a usar os juízes e os tribunais para fazer política”, disse Puigdemont.

A ex-presidente do parlamento catalão, Carme Forcadell, passou uma noite na prisão, antes de as organizações independentistas terem conseguido juntar os 150 mil euros que eram exigidos como fiança. Dos seis membros da mesa do parlamento que foram quinta-feira ouvidos no Supremo Tribunal espanhol, Forcadell foi quem teve a medida de coação mais pesada.

Depois da declaração de independência, na sequência do referendo, Madrid aplicou o artigo 155 da Constituição e revogou, em parte, a autonomia da Catalunha.